10 de agosto de 2022

“É GRANDE A FORÇA DE UMA CONSCIÊNCIA PESADA” – ASSASSINATO NA CASA DO PASTOR

FICHA TÉCNICA:

Titulo: Assassinato na casa do Pastor
Título Original: The Murder at the Vicarage
Autora: Agatha Christie
Gênero: Policial / Aventura / Mistério / Romance Policial
Editora: Nova Fronteira / L&PM
Publicação: 1930
Número de Páginas: 242 / 264 páginas

MISS MARPLE:

Miss Jane Marple é uma velhinha inglesa
que mora em uma pequena aldeia (fictícia) chamada St. Mary Mead.
Aparentemente é velhinha normal, que está sempre tricotando
ou cuidando de seu impecável jardim.
Às vezes, é meio confusa por isso é considerada caduca por alguns,
mas na verdade ela tem uma mente privilegiada para resolver mistérios,
graças à sua experiência e conhecimento da natureza humana,
em todas as suas variantes, fruto de suas observações no vilarejo,
que lhe deu muitos exemplos da natureza sombria dos seres humanos.
Sempre, nas soluções dos mistérios,
existe um paralelo com alguém que tenha conhecido em St. Mary Mead.

Ela nunca se casou e não temos referência de nenhum parente mais próximo vivo íntimo,
a exceção de seu sobrinho Raymond West, um famoso escritor,
e sua esposa Joan (inicialmente chamada Joyce) uma artista.
Miss Marple nunca trabalhou e recebe apoio financeiro do sobrinho.
Pelas referências dos livros, Miss Marple aparenta ter tido uma educação bastante completa,
e que teria complementado seus estudos em outra região da Europa.
Apesar da aparente fragilidade, Miss Marple não se impressiona ou se intimida facilmente.
Não é membro da nobreza ou da aristocracia,
mas não tem problema nenhum em lidar com estas pessoas.

Miss Marple é a sua versão feminina do detetive Belga Hercule Poirot,
e no início, principalmente no livro desta resenha,
alguns a consideravam uma velhinha fofoqueira e insuportável,
mas esta imagem foi mudando completamente ao longo das obras que se seguiram.

RESENHA SEM (SPOILERS):

Este livro é a primeira aparição de Miss Marple
em uma série de várias obras que vieram depois.

“A pessoa que matasse o Coronel Protheroe estaria prestando um grande serviço ao mundo”.
Quando disse esta frase, o pastor Leonard Clement não poderia imaginar
o quanto este “grande serviço” estaria prestes a ser executado.
E o pior, no lugar mais improvável ou inconveniente possível, em seu próprio escritório.
Junto ao corpo um bilhete que estava sendo escrito, com um texto confuso:
“6h20. Caro Clement, sinto muito não poder esperar mais pois preciso…”
Com este mistério o livro, narrado pelo próprio pastor, acompanha os fatos e os suspeitos,
e Miss Marple, vizinha do pastor, enumera sete suspeitos como possíveis assassinos,
todos com motivos de sobra para querer o encrenqueiro e desagradável Protheroe morto.
Com a ajuda de Leonard ela trilha os caminhos que levam à solução do crime,
sempre modesta, nunca quer assumir os créditos pela resolução dos mistérios,
embora seja ela a elucidar tudo, e a solução… simplesmente imprevisível!

Resenha escrita ao som de Judas Priest – Breaking The Law

NOTAS E CURIOSIDADES:

personagem de Jane Marple neste livro é notadamente diferente
de como ela demostra nos livros publicados mais adiante.
Nesta versão ela aparenta ser uma velhinha fofoqueira
e que espera sempre o pior de todos, o que não é verdade.
Em outros livros fica bem claro que Miss Marple não procura crimes para desvendar,
mas o mal está sempre por perto, fato que a desagrada, mas não pode fechar os olhos.

Em 1986 foi feito um filme pela BBC com Joan Hickson como Miss Marple
e Paul Eddington como Pastor Leonard Clement.

Em 1984 foi feita uma série com uma temporada e 21 episódios,
baseada nos livros de Agatha Christie com a personagem,
estrelada por Joan Hickson, David Horovitch e Ian Brimble.
Depois, em 2004 foi feita mais uma produção, com 20 episódios,
estrelada por Geraldine McEwan nas primeiras três temporadas
e por Julia McKenzie nas temporadas finais.

SFC – Onde quase todo dia é Sexta-feira!