30 de novembro de 2021

“FANTASMAS NÃO PODEM FAZER MAL A NINGUÉM” – SACO DE OSSOS

FICHA TÉCNICA:

Titulo: Saco de ossos
Título Original: Bag of Bones
Autor: Stephen King
Gênero: Drama / Suspense / Mistério / Terror
Editora: Suma
Publicação: Original 1998
Número de Páginas: 568 páginas

RESENHA (SEM SPOILERS):

Mike Noonan é um escritor que subitamente tem uma reviravolta
na sua vida quando sua esposa morre em um acidente.
Quatro anos depois a dor, angústia e a depressão são os mesmos.
Sofrendo um bloqueio criativo e sendo vítima de pesadelos,
decide voltar para sua casa na pequena cidade de Sara Laughs
onde se envolve na luta de uma jovem mãe chamada Mattie,
pela guarda de sua filha de 3 anos, Kyra,
neta do homem mais poderoso da cidade, Max Devore.
Mike também começa a sentir presenças sobrenaturais na casa,
como um choro de criança, fantasmas e mensagens do além que insistem em aparecer.
Mike então tentará desvendar os mistérios que envolvem a cidade e seus habitantes,
e os fantasmas que assombram cada um deles.
Saco de ossos é uma história sobrenatural e assustadora,
mas também trata de temas sérios como culpa, luto, racismo, machismo
e abusos das mais diversas formas.
Neste livro, apesar dos fantasmas, os humanos são os monstros de maior destaque.

Resenha escrita ao som de George Thorogood – Bad to the Bone

NOTAS E CURIOSIDADES:

O livro menciona Bill Denbrough, de IT, e Thaddeus Beaumont, de A Metade Negra,
dois escritores criados por King.

Em 2011, se tornou uma série dirigida por Mick Garris,
que foi diretor de outras obras de King como A Dança da Morte, em 1994,
O Iluminado, em 1997, Montado na Bala, em 2004 e Desespero, em 2006.
Pierce Brosnan interpreta Mike e Anika Noni Rose interpreta Sara, uma cantora dos anos 20.
A série sofreu algumas mudanças em relação ao livro, o que o deixou a trama menos complexa,
mas continuou fiel à obra original.

Saco de Ossos ganhou o Bram Stoker Award em 1998 e o British Fantasy Award em 1999.
Ambos na categoria de melhor romance.

SFC – Onde quase todo dia é Sexta-feira!