16 de maio de 2022

“FRENTE, BAIXO, FRENTE, SOCO FORTE” – VIDEOGAMES: CRÔNICAS DE UM JOGADOR

FICHA TÉCNICA:

Titulo: Videogames: Crônicas de um jogador
Autor: Rodrigo Reche
Gênero: Autobiografia / Crônicas
Editora: Editora do autor
Publicação: 2019
Número de Páginas: 107 páginas

RESENHA (SEM SPOILER):

O ano era 1982.
Um pré adolescente de 14 anos para na porta daquele lugar escuro,
com forte cheiro de cigarros.
Atrás do balcão um homem, descendente de portugueses,
de cara fechada vende bebidas alcoólicas baratas.

O rapaz disfarça na porta, não pode ser visto entrando em um ambiente daqueles,
mal frequentado, cheio de bêbados, viciados em drogas e bandidos.
Ser visto lá seria uma vergonha completa para a família,
um local tão perigoso para as mentes jovens,
que uma lei proibia a existência
a uma distância de pelo menos 500 metros dos portões das escolas.

Alguns dias antes uma vizinha, com sede de vingança
pelas incontáveis vezes que a bola das crianças caiu em sua casa,
já havia alertado sua mãe que seu filho, praticamente um marginal,
estava frequentando aquele antro.

É certo que ele negou e disse que jamais entraria em um lugar daqueles,
afinal, como acreditar em uma louca
que corria atrás de inocentes crianças com uma faca na mão,
pelo prazer de retalhar uma bola de borracha?

Uma rápida olhada nos arredores.
Ninguém estava olhando.
Rapidamente ele entra no local e compra alguns tokens de alegria…
Tudo que o seu dinheiro consegue comprar.
Como um alucinado, passa direto por algumas máquinas de Pinball no caminho,
e se dirige ao fim do galpão.

Lá estão as máquinas mais interessantes,
não envolvem aquela dinâmica mecânica de bolas de aço
sendo jogadas contra bumpers e atirados em passagens secretas.
As máquinas do fundo da loja possuem telas.
A sua preferida imita o design e a dinâmica do jogo enduro do Atari,
é uma caixa gigante com um monitor quadrado de cerca de 12 polegadas,
com duas cores Preto e Branco.
Lá ele ficou, até dar o tempo exato de correr para a escola
e entrar antes dos portões se fecharem.

Ler este livro escrito por Rodrigo Reche foi um golpe.
Um soco de nostalgia desferido diretamente em meu estômago.
A cada capítulo uma lembrança vívida, a cada jogo, a cada fase,
eu acompanhei o autor, ocasiões diferentes, sensações iguais.
Um verdadeiro player 2 das suas memórias.

As histórias, minhas, dele, e de diversos amigos
que viveram nesta época foram bem parecidas,
as sextas feiras clássicas, correndo até a locadora,
porque podíamos alugar os cartuchos e filmes na sexta e só entregar na segunda,
ter o final de semana inteiro para desvendar todos os segredos do jogo.

Lembrei de meu bom e velho Atari,
que teve o seu controle destruído pelo jogo Decatlhon (quem nunca),
o Adventure, jogo que vinha de brinde com o console e teve uma aparição especial no filme “Jogador 1”,
os cartuchos piratas garimpados na Lapa, área comercial da zona oeste de São Paulo,
a compra do meu Nintendo, a troca pelo Snes,
a guerra entre os donos de consoles,
disputando qual era o melhor e qual tinha os melhores jogos (alguma semelhança?)

O livro foi uma grata surpresa,
a começar pelas fontes utilizadas que imitam um manuscrito datilografado,
um trabalho de fã que lembra uma certa lista mencionada no início do livro.
Aconselho também acompanhar o podcast Fliperama de Boteco,
do qual o autor é colaborador, link no final do post.

Resenha escrita ao som de The Who / Elton John – Pinball Wizard

NOTAS, CURIOSIDADES E “UM PLUS A MAIS”:

O Podcast Fliperama de Boteco tem um quadro chamado Rádio Fliperama,
no qual os integrantes indicam músicas variadas sobre muitos temas
e até perfis de seus próprios integrantes…
Em novembro de 2018, foi a vez de Rodrigo Reche fazer 25 indicações.
Fica aí essa sugestão pra quem quiser fazer essa leitura fantástica
ouvindo a playlist preferida do Autor Rodrigo Reche…
Então fique bem confortável, coloque o seu fone de ouvido e aperte o Play!

Angra – Carry On

Shaman – Fairy Tale

Iron Maiden – The Trooper

Rhapsody – Emerald Sword

Edguy – Land of the Miracle

Brian Adams – Summer 69 (Live At Wembley 1996)

Almah – E.V.O

Brian Adams – Heaven (Acoustic Live)

Engenheiros do Hawaii – Simples de Coração (Acústico II Novos Horizontes)

Michael Jackson – Smooth Criminal

Pearl Jam – Last Kiss

3 Doors Down – Kryptonite

Kenny Loggins – Danger Zone

Queen – Bohemian Rhapsody

Queen – Don t Stop Me Now

DragonForce – Through The Fire And Flames (Live)

Avantasia – Sign Of The Cross

Manowar – Manowar

Iron Maiden – Hallowed Be Thy Name

Almah – Breath

Engenheiros do Hawaii – Depois de Nós (Acústico MTV)

Engenheiros do Hawaii – Infinita Highway (Ao Vivo 1989)

Pedra Letícia – Como Que Oce pode Abandona Eu

Pedra Letícia – Camioneta zera

Pedra Letícia – Libertas quae sera tamem

SFC – Onde quase todo dia é Sexta-feira!