1 de dezembro de 2021

“NÓS TEMOS OS VINGADORES!” – OS VINGADORES

FICHA TÉCNICA:

Nome Original: The Avengers
Nome no Brasil: Os Vingadores
Gênero: Ação / Aventura / Fantasia
Ano: 2012
Duração: 2h 23min
Direção: Joss Whedon
Roteiro: Joss Whedon
Elenco Principal: Robert Downey Jr / Chris Evans / Chris Hamsworth / Mark Ruffalo /
Tom Hiddleston / Gwyneth Paltrow / Scarlet Johansson / Samuel Jackson / Jeremy Renner
País de produção: Estados Unidos

RESENHA (SEM SPOILERS):

Depois de apresentar seus quatro heróis em filmes solos,
chega a hora que os fãs dos quadrinhos da Marvel tanto esperava:
ver Homem de Ferro, Hulk, Thor e Capitão América juntos em um único filme.
Dividir o tempo de tela de cada herói de forma equilibrada
e fazer esses personagens funcionarem como equipe,
talvez tenha sido o maior desafio para o diretor Joss Wheadon.
Mas o ingrediente para um bom filme de super-herói é sem dúvida o vilão.
E em Os Vingadores essa função é feita com maestria por Tom Hiddleston,
repetindo o papel de Loki.
Na sua sede por poder, Loki lidera um exército à mando de
Thanos para conquistar a Terra.
O que ele não sabe é que o planeta azul conta com um gênio bilionário,
um gigante esmeralda, um deus e um super soldado para protegê-lo e vingá-lo!
Imperdível!

Texto realizado ao som de Alan Silvestri – The Avengers Theme

NOTAS E CURIOSIDADES:

Inicialmente, Joss Whedon pretendia trazer a versão original da equipe para os cinemas,
inserindo o Homem-Formiga e a Vespa.
A única pessoa “de fora” da equipe original seria o Capitão América.
Contudo, a Marvel não topou inserir o Homem-Formiga antes que ele próprio
ganhasse seu filme solo – o que só aconteceu três anos depois;

Esse filme marca a estreia de Mark Ruffalo nos papéis de Bruce Banner / Hulk,
substituindo Edward Norton;

Jeremy Renner, o Gavião Arqueiro, reclamou do fato que o seu personagem
passa quase a metade do filme ao lado do vilão, e não tem tanta interação
com outros heróis além da Viúva Negra e de Nick Fury;

Todo o terceiro ato do filme foi escrito como um filme à parte, e possui três atos separados.
O começo, onde a ameaça surge e os heróis precisam lutar;
o meio, onde eles já conseguem conter a maior parte da invasão;
e o clímax, onde eles sofrem um revés (o lançamento da ogiva nuclear)
e precisam dar tudo de si para salvar o mundo;

O filme marca a primeira participação de Thanos
em todo o Universo Cinematográfico da Marvel.
E se atualmente o vilão é interpretado graças à captura de movimentos e CGI por Josh Brolin,
na época, quem viveu o antagonista foi o ator e dublê Damion Poitier,
que posteriormente trabalhou até em Capitão América: Guerra Civil.
No filme, ele foi criado principalmente com próteses e maquiagem,
devido à sua breve aparição;

A última cena pós-créditos do filme pode parecer apenas uma piada para alguns,
mas ela teve toda uma construção bem peculiar durante as gravações do filme.
Além de fazer referência a um momento citado durante a Batalha de Manhattan,
a reunião dos heróis para comerem shawarma foi sugerida por Robert Downey Jr.,
e foi inserida no longa um dia após sua premiére mundial.

Isso significa que a cena foi gravada muito tempo depois
que os atores já tinham encerrado sua participação central no filme.
Por conta disso, o próprio Chris Evans estava com a barba grande e o cabelo curto,
devido às gravações de Expresso do Amanhã.
Para que não causasse erros de continuidade na trama,
o ator teve que colocar uma peruca e passou a cena inteira
com uma das mãos em seu rosto, para esconder a barba.

A ideia de inserir o vilão no filme veio do próprio Joss Whedon,
já que a franquia estava começando a lidar com as Joias do Infinito
e ele considerava o Titã Louco a maior ameaça a ser enfrentada pelos Vingadores.
Além disso, o filme é (antes de Guerra Infinita) o longa
a trazer a maior quantidade de Joias do Infinito inseridas em si,
já que temos o Tesseract (a Joia do Espaço) e a gema no Cetro de Loki (a Joia da Mente).

SFC – Onde quase todo dia é Sexta-feira!