7 de dezembro de 2021

“TODA ESCOLHA NOS DÁ A POSSIBILIDADE DE NOS ARREPENDER ” – HANNIBAL

FICHA TÉCNICA:

Nome original: Hannibal
Nome do Brasil: Hannibal
Gênero: suspense / policial
Ano: 2001
Duração: 2h 11min
Direção: Ridley Scott
Roteiro: Thomas Harris (livro) / David Mamet / Steven Zaillian
Elenco principal: Anthony Hopkins / Julianne Moore / Gary Oldman / Ray Liotta
País de produção: Estados Unidos

RESENHA (SEM SPOILERS):

Sete anos se passaram desde que o Dr. Hannibal Lecter escapou da prisão.
O serial killer agora trabalha na biblioteca de uma família nobre de Florença
e transita livremente pela Europa e agente do FBI Clarice Sterling, que entrevistou o Dr. Lecter
antes que ele fugisse do hospital de segurança máxima para criminosos insanos,
nunca esqueceu o assassino, cuja voz ainda atormenta seus sonhos.
Mas também Mason Verger não se esqueceu de Hannibal.
Vítima que conseguiu sobreviver ao ataque do psicopata e ficou terrivelmente desfigurado,
Verger se torna um obcecado pela vingança e percebe que,
para fazer com que o Dr. Lecter seja descoberto,
terá que usar como isca a própria Clarice Sterling.

O aclamado diretor Ridley Scott traz uma ótima sequência,
do clássico “O Silêncio dos Inocentes”
Hannibal tem um excelente elenco e uma dose muito boa de suspense,
que não deixa a desejar pra quem curte o genêro.
recomendado para maiores de 18 anos, pois tem cenas bem violentas e chocantes.

Texto realizado ao som de Titãs – Comida

NOTAS E CURIOSIDADES:

Este o 3º de 5 filmes em que aparece o personagem Hannibal Lecter.
Os demais foram Dragão Vermelho (1986), O Silêncio dos Inocentes (1991),
Dragão Vermelho (2002) e Hannibal – A Origem do Mal (2007).

Jonathan Demme, diretor de O Silêncio dos Inocentes,
preferiu se afastar desta continuação por considerar a história muito violenta.

Jodie Foster, que interpretou Clarice Starling no primeiro filme, decidiu não participar desta sequência
por não concordar com os rumos tomados por sua personagem.

Os direitos de filmagem de Hannibal, livro lançado em 1999 pelo escritor Thomas Harris,
foram vendidos a Dino de Laurentiis por US$ 10 milhões,
o mais alto valor já pago até então por um produtor para adaptar um livro para o cinema.

O final do filme é diferente do final do livro pois, de acordo com o diretor Ridley Scott,
o final do livro era infilmável, o escritor Thomas Harris concordou com a mudança.

O filme teve um orçamento de US$ 80 milhões e só nas duas primeiras semanas nos cinemas,
e obteve mais de US$ 100 milhões, apenas nos Estados Unidos.

SFC – Onde quase todo dia é Sexta-feira!