3 de dezembro de 2021

“A NATUREZA HUMANA É PERVERSA EM SUA COMPLEXIDADE” – ASSASSINATO NO EXPRESSO ORIENTE

FICHA TÉCNICA:

Titulo: Assassinato no Expresso Oriente
Título Original: Murder on the Orient Express
Autora: Agatha Christie
Gênero: Policial / Aventura / Mistério / Romance Policial
Editora: Harper Collins
Publicação: 1933
Número de Páginas: 240 páginas

Agatha Christie, mais conhecida como a Rainha do Crime (ou dama do Crime)
é uma das melhores autoras de todos os tempos.
Escritora, poetisa, Dramaturga, contista,
escrevendo às vezes com o pseudônimo de Mary Westmacott,
criou diversos personagens que atuam na resolução dos maiores mistérios policiais,
um deles, presente nesta resenha, o detetive Belga Hercule Poirot.
O Interessante dos livros da autora são as constantes reviravoltas que fazem o leitor
se surpreender até a última página do livro, onde o óbvio nunca é certo.

RESENHA (SEM SPOILERS):

Hercule Poirot é obrigado a embarcar no expresso do oriente,
e para sua surpresa, em um período de frio intenso
onde o trem estaria praticamente vazio, encontra apenas um leito disponível.
Durante a viagem é abordado por um homem extremamente desagradável
que quer contratar seus serviços, mas Poirot recusa.
Logo após a meia noite, uma tempestade faz com que o trem pare nos trilhos e ,
no dia seguinte, um dos passageiros foi brutalmente assassinado.
Cabe a Poirot descobrir quem é o assassino, antes que ele volte a atacar ou escape.
Mas com tantas pessoas e pistas controversas e mentiras,
como descobrir o responsável pelo crime?

Resenha escrita ao som de Inocentes – Expresso Oriente

NOTAS E CURIOSIDADES:

O livro é baseado no verdadeiro caso de um sequestro ocorrido nos Estados Unidos, em 1932.
Agatha Christie resolveu utilizar esse fato para criar um grande conflito moral nos leitores.

O livro já foi adaptado par o cinema várias vezes.
A mais famosa é a versão de 1974, com nomes como Albert Finney (Hercule Poirot),
Ingrid Bergman (Greta Ohlsson), Anthony Perkins (Hector McQueen),
Jacqueline Bisset (Condessa Andrenyi), Sean Connery (Coronel Arbuthnott)
e Vanessa Redgrave (Mary Debenham) entre outros.
A Última adaptação foi um filme de 2017 com Kenneth Branagh, Tom Bateman,
Penélope Cruz, Willem Dafoe, Judi Dench, Johnny Depp e Michelle Pfeiffer

Segundo o Guinness Book, Agatha Christie é a romancista
mais bem sucedida da história da literatura popular mundial em número total de livros vendidos,
suas obras, venderam cerca de quatro bilhões de cópias, só ficando atrás de Shakespeare e da Bíblia.

Em 1971 Agatha Christie foi condecorada pela rainha Elizabeth II
com o título de Dama-Comendadora da Ordem do Império Britânico,
que é o equivalente feminino ao sir.

É conhecida por seus personagens marcantes, como Hercule Poirot,
a idosa Miss Marple, o detetive Parker Pyne e Tommy e Tuppence Beresford.

Hercule Poirot ou simplesmente Poirot é um detetive fictício e personagem
da maioria dos livros de Agatha Christie.
Um dos mais famosos detetives da ficção policial, defende que qualquer crime
pode ser desvendado apenas usando as suas pequeninas “células cinzentas”,
e que não é necessário ir a campo atrás de detalhes como pegadas.

É extravagante e nada modesto, se vangloriando sempre da forma
como usa suas células cinzentas, tem um vistoso e bem moldado bigode,
que é a sua característica principal, faz questão de sempre estar elegante e impecável.
Chegam a atribuir suas manias e excentricidades, assim como a sua admiração
por ordem e método a um T.O.C. (transtorno obsessivo compulsivo).

Para evitar que continuassem a explorar seu personagem depois de sua morte,
Agatha Christie decidiu matar Poirot no romance “Cai o pano” escrito na década de 1940,
mas que, segundo ordens expressas suas, só deveria ser publicado após sua morte,
portanto só foi lançado em 1975

SFC – Onde quase todo dia é Sexta-feira!