7 de dezembro de 2021

“OI, EU SOU O CHUCKY, QUER BRINCAR?” – BRINQUEDO ASSASSINO

FICHA TÉCNICA:

Nome Original: Child’s Play
Nome do Brasil: Brinquedo Assassino
Gênero: terror / suspense
Ano: 1988
Duração: 1h 27m
Direção: Tom Holland
Roteiro: Tom Holland / Don Mancini / John Lafia
Elenco Principal: Catherine Hicks / Chris Sarandon / Alex Vincent / Brad Dourif
País de Produção: Estados Unidos

RESENHA (SEM SPOILERS):

Um serial killer é morto em um tiroteio com a polícia,
mas antes de morrer utiliza seus conhecimentos de vodu
e transfere sua alma para um boneco.
Um menino ganha este brinquedo como presente da sua mãe.
O menino tenta alertar que o boneco está vivo,
mas sua mãe e um detetive da polícia só acreditam nele
após o brinquedo ter feito várias vítimas.
Mas o boneco está realmente interessado é no garoto,
pois só no corpo dele poderá continuar vivo,
e isto coloca a criança em grande perigo.

Brinquedo Assassino passou inúmeras vezes na televisão
é um grande clássico trash do gênero terror,
Chucky é um personagem bem caricato e carismático,
e francamente, faz mais rir do que assustar alguém.
não é um filme recomendado pra toda a família por causa do gênero,
mas pra quem gosta de um “terrir”, sem muita exigência vale a pena!
O filme é incrível e contém efeitos muito bons para a época.

Texto realizado ao som de Pitty – Brinquedo Torto

NOTAS E CURIOSIDADES:

o nome real do Chuck é Charles Lee Ray, uma combinação do nome de três assassinos reais.
O primeiro é Charles Manson, que matou Sharon Tate,
a mulher era esposa do cineasta Roman Polanski e estava grávida quando foi morta.
O segundo é Lee Harvey Oswald, assassinou o ex-presidente dos EUA, John Fitzgerald Kennedy,
e o último é James Earl Grey, que matou Martin Luther King.

Um dos slogans mais famosos da saga do boneco assassino
fazia referência a outro filme de terror: A Hora do Pesadelo.
O slogan dizia o seguinte:
“Quando as pessoas têm pesadelos, elas sonham com Freddy.
Mas quando Freddy tem pesadelos, ele sonha com Chucky”.

O filme sempre foi acusado de inspirar atos violentos nas crianças.
O diretor Tom Holland defendia o primeiro longa da franquia
ao declarar que os espectadores dos filmes de terror só poderiam ser influenciados
caso já fossem desequilibrados para executarem atos de crueldade.

O filme foi produzido com um orçamento de 9 milhões de dólares
e faturou mais de 33 milhões de dólares apenas nos Estados Unidos

SFC – Onde quase todo dia é Sexta-feira!