1 de dezembro de 2021

“A BONDADE NÃO FORJA LENDAS” – ASSASSIN’S CREED: BANDEIRA NEGRA

FICHA TÉCNICA:

Titulo: Assassin’s Creed: Bandeira Negra
Título Original: Assassin’s Creed: Black Flag
Autor: Oliver Bowden ( Pseudônimo de Anton Gill, Historiador e escritor francês)
Gênero: Fantasia / Ficção Histórica
Editora: Galera Record
Coleção / Arco: Assassin’s Creed
Publicação: Original 2013
Número de Páginas: 336 páginas

RESENHA (SEM SPOILERS):

Assassin’s Creed: Black Flag é inspirado na franquia de games Assassin’s Creed.
Ambientado em 1715, conta a história de Edward Kenway,
pirata e corsário que viveu na Era Dourada dos Piratas.
Ele é pai de Haytham Kenway e avô de Connor Kenway,
personagens apresentados de Assassin’s Creed: Renegado
(que será comentado em breve).
O Livro mistura exploração naval com combate e aventuras,
tanto em terra quanto no mar das Caraíbas
Começa com Edward quando ele tinha apenas 17 anos
e tem algumas similaridades com a saga de Ezio Auditore,
exceto pela vocação de assassino, que não veio de uma “herança” familiar,
mas fruto dos acontecimentos com os quais se envolveu.
Seus inimigos, os templários continuam ativos e perigosos.
Diferente do arco anterior, neste livro é o próprio Edward que narra a sua história,
com um ótimo rigor histórico e cheio de batalhas, com passagens de tempo bem dinâmicas,
Bowden é preciso contando exatamente os fatos necessários para o entendimento dos fatos,
nos preparando muito bem para o próximo livro.
Não se prende a detalhes desnecessários e,
apesar da primeira parte do livro se passar um pouco mais lenta,
o restante compensa em ação.

Resenha escrita ao som de The rime of the ancient mariner – Iron Maiden

SFC – Onde quase todo dia é Sexta-feira!